Das Vozes da Cidade

Exposição dos 50 anos de carreira de Jaime Lerner realizada no Museu Oscar Niemeyer entre 11 de dezembro de 2014 a 5 de abril de 2015

O Museu Oscar Niemeyer recebe, com muita honra, a exposição que comemora os 50 anos de carreira do arquiteto e urbanista Jaime Lerner.
Jaime tem papel fundamental na vida social, cultural e urbana de Curitiba, pois marcou com seus projetos e ideias inovadoras uma nova imagem da cidade. Foi além, levou esta imagem a outras cidades do Brasil e do exterior, tornando a capital um modelo de referência de implantação e planejamento de centros urbanos aliados à qualidade de vida e bem-estar das pessoas.
Como Governador do Estado do Paraná, executou o projeto do Museu Oscar Niemeyer, de autoria do grande arquiteto que dá nome ao museu. Inaugurado em 2002, com o nome de Novo Museu, o espaço se tornou ao longo de 12 anos referência em arte e cultura no Brasil e no mundo.
Agradeço, em nome de toda a equipe do MON, ao Jaime Lerner pela sua visão em perceber que a cultura é um grande transformador de cenários, de cotidianos e de vidas.

Estela Sandrini
Diretora Cultural do Museu Oscar Niemeyer

Invenção maior do homem, a cidade é seu habitat natural. Cenário da sobrevivência, território da mitologia, da arte e da ciência, é a comunhão, o construir coletivo, como coletiva é a construção do pensamento. Essa é a cidade de múltiplas dimensões que habita a obra de Jaime Lerner.
Mais do que comemorar os seus 50 anos de arquitetura e urbanismo, “Das Vozes da Cidade” é o trajeto de sua obra – da imaginação à inspiração, à ideia. Uma obra assentada em funcionalidade e arte, binômio que bem sintetiza seu pensamento.
Curitiba é o palco primeiro da imaginação de Lerner. Olhando o desenho dos ladrilhos da loja do pai, descobre a perspectiva e sabe que será arquiteto. Ao crescer na Barão do Rio Branco, rua que era então uma síntese de mundo, com a estação do trem, a Assembleia Legislativa, emissoras de rádio, intenso comércio e um terreno que recebia os circos que se exibiam na cidade, forja ali o olhar do futuro urbanista.
A obra inovadora com que mudou a face da Curitiba dos anos 1970 desperta a atenção de escritores, artistas, estudiosos. Inspira gestores urbanos e faz de Curitiba o objeto do desejo de muitas cidades do mundo.
Lerner não é o arquiteto da exuberância. Nem um utópico ou um visionário. Antes é um realista, um operador do sonho possível, cuja imaginação se consolidou como ideia referencial, ao alcance da realidade de qualquer cidade.

Valeria Bechara
Curadora